8.3.17

Dia Internacional da Mulher é Dia de Manifestação!

 

Descrição: Daniella está com uma venda nos olhos e os braços esticados para frente, com o tronco inclinado. Sobre a foto, uma película roxa. Abaixo escrito numa faixa vermelha: Parada Internacional de Mulheres no Brasil. Embaixo em branco: Eu Paro. No canto direito debaixo, dentro do símbolo do feminino: 8M BRASIL, em vermelho.

 

O dia 8 de março será um dia de luta e manifestações culturais. Mais de 30 países ao redor do mundo estarão reunindo mulheres e apoiadores para paralisações, manifestações públicas e movimentos culturais.

Um momento importante para questionarmos tudo que envolve questões do feminino como: o corpo da mulher, sua vestimenta, sua voz, gerar ou não filhos; a violência contra a mulher, seja verbal, física, mental, que é ferida a cada momento com propagandas que a desqualificam, no trabalho, nas ruas, ou até mesmo em seus próprio lares por familiares. Como profissional que chega a ter jornada tripla de trabalho: em casa, com os filhos e a profissão. A remuneração com salários menores para os mesmos cargos.São muitas questões que devem ter vazão para o diálogo entre nós mulheres e com a sociedade em geral. 

Minha maior causa hoje em dia é levar a acessibilidade para pessoas, e neste caso, mulheres com deficiência. Através da arte, empodeirar essas mulheres para reconhecerem sua beleza, sem os bombardeios da mídia, desenvolver sua capacidade criativa, de socialização e principalmente de reconhecer seus limites e potencialidades. Para tanto, se faz necessário que acolhamos com dignidade e respeito as mulheres com deficiência que necessitam de que respeitem sua forma de comunicação e expressão. A audiodescrição, o Braille, a legenda são recursos de acessibilidade além da Libras (Língua Brasileira de Sinais) que ampliam o entendimento das pessoas com deficiência. Quando não pensamos em oferecer esses recursos, juntamente com um lugar com adaptações arquitetônicas como rampas, elevadores e banheiros adaptados teremos uma mulher à menos e não é por isso que todas lutamos, para que todas tenham voz e vez?

Construamos um mundo melhor para todos, começando em nossas casas e escolas, para que nossas meninas tenham onde se reconhecer e se sentirem valorizadas pelo que são! Pelo respeito às diferenças, pela igualdade de condição!

Haverão várias manifestações em São Paulo, segue algumas sugestões para participação:


- Na Praça da Sé, uma manifestação se posiciona contra a reforma da Previdência e Trabalhista, a violência machista e a favor da legalização do aborto. A partir das 15h. Mais informações: https://www.facebook.com/events/177977869360921/

- No vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista, mulheres se reúnem pela igualdade de gênero em todas as esferas públicas e particulares. A partir das 16h. Mais informações: https://www.facebook.com/events/1872567573029232/

Atividades especiais
- O MAM dá início à "Semana de Artes HeForShe", movimento mundial da ONU Mulheres pela igualdade de gêneros, com show das cantoras Iara Rennó e Ava Rocha, além de oficinas, espetáculos teatrais e palestras. Das 10h às 18h. Mais informações: semanadaarteheforshe.org

- A Casa Guilherme de Almeida resgata a produção literária de escritoras pouco lembradas no percurso histórico da poesia brasileira no encontro “Vozes Femininas: Grandes Esquecidas”. Entre as autoras estão Francisca Júlia da Silva, Auta de Souza, Gilka Machado e Narcisa Amália. Às 19h. Mais informações: www.casaguilhermedealmeida.org.br

- O Museu do Futebol oferece entrada gratuita às mulheres, além de uma programação especial ao longo do mês de março, na qual os visitantes poderão descobrir mais a respeito das principais personalidades femininas dentro e fora de campo. Mais informações: www.museudofutebol.org.br

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.